MAS AFINAL POR QUE “SER SUSTENTÁVEL”?


H á a l g u n s  a n o s  a  p a l a v r a

“ S U S T E N TA B I L I D A D E "  v e m

aparecendo frequentemente em

nossas vidas. Para algumas

pessoas ela pouco representa, uma

vez que seu significado parece ser

algo distante e impraticável. Já para

outras pessoas, a sustentabilidade

pode ser uma escolha aplicada ao

seu trabalho, ao que consome, como se veste, e como vive.

O dicionário Aurélio, diz que:

"O conceito de sustentabilidade está relacionado a aspectos econômicos, sociais, culturais e ambientais e busca suprir as necessidades do presente sem afetar as gerações futuras.” Ou seja é necessário agir no presente para garantir o futuro. Diminuir o consumo de plásticos, a utilização de recursos naturais, (água e solos) e o consumo de produtos provenientes do trabalho em condições análogas a escravidão, são algumas das razões para ser sustentável.


A indústria da moda global, vem produzindo cerca de 150 bilhões de peças por ano, em muitos casos utilizando tecidos, aviamentos de baixa durabilidade, e originários de fibras sintéticas como poliéster e similares. Por conta dessas condições, essas roupas apresentam um pequeno ciclo de uso e serão descartadas, incineradas, ou doadas após o seu uso, o que conhecemos como descarte do pós-consumo. O impacto dessa produção de “roupas novas" e o descarte gerado pelas mesmas, resultam em um volume insustentável para o planeta. De acordo com a Oxfam - uma organização global que trabalha na erradicação da pobreza, com projetos de longo prazo em comunidades determinadas - constatou que ao comprar uma nova camisa branca de algodão, produzimos aproximadamente a mesma emissão de gases poluentes (monóxido de carbono entre outros) quanto dirigir um carro por 40 minutos. Sem contar com a aplicação de todos os agrotóxicos poluentes, processos e gastos energéticos, e deslocamento, para que essa mesma camisa chegue até as araras.

Ao entendermos como as coisas funcionam, passamos a nos interessar e cuidar mais delas.

Ser sustentável é também ajudar a combater a crise climática e proteger preciosos recursos naturais, e defender melhores condições de trabalho. Lembre-se agir no presente para

garantir o futuro. Mas para isso é necessário entender que nossas decisões locais geram impactos coletivos. O próximo passo é perceber que, o despertar dessa consciência não é um ato isolado, e pode acontecer em momentos específicos; de pessoa para pessoa.


As mudanças de comportamento começam nas atitudes individuais e ganham potencialidade transformadora, quando realizadas em conjunto. Portanto ser sustentável é importante, se você concorda em pensar antes de agir. E refletir sobre: o que compramos, por que compramos e como impactamos o nosso redor. Para isso seguem três sugestões de práticas relacionadas a nosso hábito diário de “Vestir”, com o objetivo de fazer com que as suas roupas durem cada vez mais, poluam cada vez menos e contribuam para o o desenvolvimento de melhores futuros.


1. Antes de comprar: Reflita

Eu preciso dessa roupa?

Posso comprar em um Brechó?

Tem alguma marca ou produtor local que trabalhe com roupas ou materiais em desuso?


2. Pergunte: Seja Curioso

‘De onde’ estou me vestindo?

Confira a etiqueta da sua roupa e procure saber de que material e aonde ela foi feita.

Pesquise se a pessoa ou a marca que fez a sua roupa se preocupa com a sustentabilidade.

Desvende as histórias por trás das roupas. Quais mãos tocaram nossas roupas antes de chegarem às nossas próprias mãos? Em que condições essas pessoas se encontram?


3. Ao descartar: Tente

Arrumar, costurar, customizar, trocar ou vender .

Manter nossas roupas por mais tempo é uma maneira simples e eficaz de diminuir nosso impacto. Ao estender a vida útil de uma roupa em apenas 9 meses, reduzimos suas pegadas de água, resíduos e carbono em cerca de 20% cada.


E para finalizar, indicamos alguns materiais inspiradores para você saber mais e não esquecer que:

Fique atento:

Neste mês de setembro acontece o #SecondhandSeptember uma iniciativa do movimento Fashion Revolution e a @Oxfamgb, que propõe valorizar o ciclo de uso das roupas de Second Hand ou 'roupas de segunda mão', provenientes do pós consumo.

Acompanhe em: @fash_rev /@fash_rev_brasil


Aproveite o feriado e assista:


Estou Me Guardando Para Quando o Carnaval Chegar

Um documentário sobre a produção de jeans nacional na cidade de Toritama localizada a 164 km de Recife - PE - NETFLIX


Unravel:

The final resting place of your cast-off clothing

shorturl.at/wBJ14


Seguimos.

___________________________________________________________________________________________


Texto e Imagens: @aab_design_moda

Aline Andreazza Bussi - Designer - Educadora - Fashion Design Researcher

Especialista em Gestão Estratégica de Moda

Representante do Movimento Fashion Revolution Curitiba


Fontes & Referências:

(Artuso. E, Design sustentável /

Berlim. L, Moda & Sustentabilidade /

Fashion Revolution: @fash_rev /@fash_rev_brasil)

SAIBA EM PRIMEIRA MÃO SOBRE NOSSOS DESCONTOS, ARTIGOS E NOVIDADES

FEITO NO BRASIL

REUSO

FEITO A MÃO

COMÉRCIO JUSTO

  • Grey Instagram Ícone
  • Grey Facebook Ícone

CONTATO

R.: Pres. Carlos Cavalcanti,400, Lj. 06

Curitiba - PR - 80 020 280

MAPA DO SITE

OPÇÕES DE PAGAMENTO

©2012 Balaio de Gato Colab e Brechó - 15.304.532/0001-90 - Todos os direitos reservados - desenvolvido por Barp